UOL CriançasPara os pais - UOL Crianças

Visual do site
  • Picolé
  • Camuflado
  • Neon
  • Jardim
  • Guloseimas
  • Balões

22/09/2011 - 07h00

Saiba por que brincar é fundamental para o desenvolvimento do seu filho

SIMONE TINTI
Colaboração para o UOL Crianças

“Lápis, caderno, chiclete, pião. Sol, bicicleta, skate, calção...Criança não trabalha, criança dá trabalho”. Quem é pai provavelmente já ouviu a canção “Criança Não Trabalha”, da dupla Palavra Cantada, e que fala do que há de melhor na infância: a brincadeira. Mas, em tempos de agendas superlotadas, muitos pais acabam deixando de lado as horas de lazer dos filhos – e que são tão necessárias para o desenvolvimento intelectual e cognitivo dos pequenos.   

Desenvolver a memória, o raciocínio, as emoções, a habilidade física e a coordenação motora. Estimular a imaginação e a sociabilidade - tudo isso faz parte dos benefícios gerados pelo brincar.  “A brincadeira é uma coisa séria. Só se torna um adulto completo, com bom desenvolvimento cognitivo, social e afetivo, quem brincou na infância”, diz Patricia Bertolini, psicóloga e coordenadora da Brinquedoteca do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba (PR).

  • Thinkstock

    Dançar no meio da sala não exige nada mais que o corpo e pode ser um ótimo divertimento.

Quer mais um benefício? Brincar também é uma forma de expressão. “Quando a criança ainda não desenvolveu a linguagem oral ou a escrita, ela se manifesta por meio da brincadeira”, afirma Maria Angela Barbato Carneiro, coordenadora do Núcleo de Estudos do Brincar da PUC-SP. Ou seja, quando ainda não aprendeu a falar ou escrever, brincar é um jeito da criança poder expressar algum sentimento, necessidade ou apenas representar a realidade em que vive. Se ela estiver triste ou com medo, pode transferir esses sentimentos para um boneco, por exemplo, e dizer que o brinquedo está chorando ou assustado exatamente pelo motivo que ela ainda não consegue explicar por meio das palavras. 

Ter tempo livre para fazer o que quiser, seja pular corda ou montar castelos com cartas de baralho, portanto, é fundamental.  “A criança que não brinca pode se tornar um adulto egoísta, dependente e pouco criativo”, afirma Maria Angela. O ideal, como diz a educadora, é que seu filho brinque todos os dias, não importa se está sozinho, com irmãos, amigos - e também com você.  “A brincadeira em família ajuda a fortalecer o vínculo afetivo, pois na hora de um jogo, por exemplo, a criança pode questionar o pai, fazer negociações, expor suas opiniões. Assim, pais e filhos acabam se conhecendo melhor”, diz Patrícia Bertolini.

E se você pensa que não sabe mais brincar ou que é preciso ter muitos brinquedos em casa, saiba que a criança se diverte facilmente e com poucos objetos - ou até mesmo nenhum. Brincar de esconde-esconde ou dançar no meio da sala, por exemplo, não exigem muito mais do que o corpo. “Deixe a iniciativa partir do seu filho e entre no jogo com ele. Os adultos perdem a fantasia aos poucos, mas a criança ainda tem muito”, afirma Patricia.  

HORA DA BRINCADEIRA

Como explicam as especialistas Maria Angela Barbato Carneiro e Patricia Bertolini, não há uma “receita” para a brincadeira. O importante é diversificar as atividades, brincar dentro e fora de casa, com ou sem brinquedos. Aqui há algumas sugestões, separadas de acordo com a idade do seu filho, para você começar ou incrementar a diversão em casa.

DE 0 A 3 ANOS

- CANTAR

- TOCAR INSTRUMENTOS

- FAZER CÓCEGAS E CARETAS

+ 3 ANOS

- BRINCAR DE FAZ DE CONTA

- CRIAR CASTELOS COM BLOCOS DE MONTAR OU COM CARTAS DE BARALHO

- ESCONDER O BJETOS E PEDIR PARA A CRIANÇA PROCURAR

+ 6 ANOS

- ANDAR DE BICICLETA

- JOGAR DOMINÓ

- FAZER TRAVA LÍNGUAS

- FAZER IMITAÇÕES

EM TODAS AS IDADES

- BRINCAR COM MASSINHA

- BRINCAR COM TINTA

- CONSTRUIR OBJETOS COM MATERIAIS DIVERSOS COMO PAPEL, BLOCOS DE MONTAR OU SUCATA (clique aqui e
veja algumas sugestões de ATIVIDADES no UOL Crianças)

 

Veja mais

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host